Resenha: Destrua-me

Destrua-meTítulo: Destrua-me
Autora: Taheref Mafi
Editora: Novo Conceito
Número de páginas: 84
ISBN:  9788581630298

A Série:
1. Estilhaça-me
1.5. Destrua-me
2. Liberta-me
2.5 .Fragmenta-me
3. Incendeia -me
Destrua-me é uma história contada do ponto de vista de Warner; o cruel líder do Setor 45.
Em Estilhaça-me; Juliette escapou do Restabelecimento ao seduzir Warner — e disparar uma bala em seu ombro. No entanto; conforme ela compreenderá em Destrua-me; não é tão fácil assim se livrar de Warner…

De volta à base; após sua recuperação do grave ferimento; Warner precisa fazer de tudo para manter seus soldados a postos e reprimir qualquer menção de rebelião no setor. Ainda muito obcecado por Juliette; sua prioridade é trazê-la de volta e se livrar dos dois traidores que a ajudaram a escapar. No entanto; quando o pai de Warner; o Comandante Supremo do Restabelecimento; aparece para corrigir os erros do filho; fica claro que tem planos muito diferentes para Juliette. Planos que Warner simplesmente não pode permitir.


 Devo dizer que já tinha adorado o Warner em Estilhaça-me, só não me perguntem o por que, pois eu não sei. 

"Eles pensam que sou uma criança maluca. Não me respeitam; não são leais a mim. Eles estão desapontados que estou ali frente a eles; zangado; revoltado até, mas não fui morto por causa desse ferimento.
Mas eles temem a mim.
E isso é tudo de que preciso." Pág. 40

Destrua-me, só esta disponível em e-book , (de graça) pois é um bônus para a série, ele se passa entre o primeiro e segundo livro.
Destrua-me se passa a partir do momento em que Juliette e Adam, fogem. E Warner por causa do tiro que leva no braço pela Juliette, fica ferido.

"E começo a perceber que tem uma pequena parte de mim que não deseja afastar os
pensamentos dela. Uma parte de mim gosta da tortura.
Essa garota está me destruindo.
Uma garota que passou o último ano internada num sanatório de loucos. Uma garota que tentou
me matar porque eu a beijei. Uma garota que fugiu com outro homem só para se afastar de
mim." Pág. 43.

Neste conto vamos ver como é o dia a dia do tão brutal líder do Setor 45, e vamos ver que ele não é uma pessoa má, mas sim uma pessoa que já foi machucada muito na vida, e como lhe foi ensinado, ele deve ter pulso firme e não fraquejar em momento algum.
Com a fuga de Juliette e mais dois de seus soldados, pode haver uma revolução entre os civis do setor e essa situação foi passada ao Comandante Supremo do Restabelecimento, que é nada mais nada menos que seu pai, que todos o temem.
Com as investigações, Warner, vai fazer uma revista no quarto de Juliette e encontra um caderno, o qual a garota andava com ele todo o tempo. Este caderninho, era o seu diário.
Nele estão registradas como foi o tempo em que ela ficou no manico mio, como foi o tempo em que ela ficou quase um ano trancada em uma cela sem nenhum contato humano no complexo, e ele irá entender como foi que ela conseguiu manter a sua sanidade durante todo esse tempo.
Warner se vê desesperado quando descobre quais são os planos de seu pai quando encontrar a garota, pois não é nada agradável.
Porque apesar de ela aparentar timidez dentro dos limites do seu isolamento, aqui fora — no meio do caos, destruição — eu sabia que ela se tornaria algo completamente diferente. Estava apenas à espera. Cada dia esperando pacientemente que ela entendesse a dimensão do seu novo potencial; sem nunca ter percebido que a havia deixado aos cuidados do único soldado que poderia roubá-la de mim.. Pág. 31
Observei o perfil modesto dessa garota que eu não podia ver nem conhecer, e senti um respeito
enorme por ela. Passei a admirá-la e invejar sua calma — sua tranquilidade perante tudo a que
foi forçada a enfrentar. Não sei se entendi exatamente o que era que estava sentindo naquela
época, mas sabia que a queria toda para mim.
Queria conhecer seus segredos.
E então um dia, ela se levantou na sua cela e caminhou até a janela. Era de manhã bem cedo, o
sol havia acabado de nascer; pela primeira vez pude vislumbrar seu rosto. Ela pressionou a palma
da mão na janela e sussurrou duas palavras, só uma vez.
Me perdoa. pág. 34

É uma leitura rápida de se fazer, não foi tão rápida pra mim, pois já faz um tempo que eu li o primeiro e até engatar ma história demorou um pouquinho.
Vamos ver um lado do Warner totalmente diferente. Eu já havia percebido, mas vamos descobrir o porque de Warner ter se dedicado tanto estudando Juliette.
Uma coisa que eu já havia percebido no primeiro livro, era que Warner tinha mania de limpeza, mas eu achava que era porque já que ele era o líder do setor então esta seria mais uma forma de controle, só que não é.
Para quem achou Warner uma pessoa fria, vocês não virão nada, o pai do Warner ganha de longe.
Uma parte que me tocou e me incomodou foi os relatos do diário da Juliette, incomodavam o Warner e a quem le a história. Pois ela fala de todos os seus sentimentos e aquilo acaba mexendo com você e te perturbando, porque ela sofreu desde pequena mal tratos e foi assim até quase o dia em que fugiu. E Warner percebe que ele e Juliette tem mais coisas em comum do que imaginava.
"Imagino que estou usando meias quentinhas e estou sentada perto do fogo. Imagino que alguém me deu um livro para ler, uma história para me levar para longe da tortura da minha própria mente.
Quero ser alguém em algum outro lugar com alguma outra coisa a ocupar minha cabeça. Quero correr, quero sentir o vento batendo nos cabelos. Quero fingir que isso é simplesmente uma história dentro de outra história. Que essa cela é apenas um cenário, que essas mãos não me pertencem, que essa janela dá para um lugar lindo, se pelo menos eu conseguisse abri-la. Finjo que essa fronha é limpa, finjo que a cama é macia. Finjo e finjo e finjo até que o mundo fica maravilhoso por trás dos meus olhos e já não consigo mais contê-lo. Mas então meus olhos se abrem e sou agarrada pela garganta por um par de mãos que não param de me sufocar sufocar
sufocar...
Meus pensamentos, acho, logo serão ouvidos.
Minha mente, espero, logo será descoberta." Pág. 49

"Levanto o olhar, meus olhos cuidadosamente desprovidos de emoção. Odeio seu rosto. Não suporto olhar muito tempo para ele; não gosto da experiência de observar como ele é desumano. Ele não se tortura pelo que faz ou pelo modo que vive. Na verdade ele gosta disso. Ele adora a adrenalina do poder; ele se vê como uma entidade invencível.
E, de certo modo, não está errado.
Passei a crer que o homem mais perigoso do mundo é aquele que não sente remorso. Aquele que nunca se desculpa e, portanto, não procura o perdão. Porque no final, são nossas emoções que nos torna fracos, não nossas ações." Pág. 57 


Destrua-me como eu já disse está disponível apenas em formato digital:

Super recomendo a leitura.

2 comentários

  1. Falam tão bem dessa série que eu preciso ler rsrs
    Adorei a resenha!
    Fiquei mais instigada a começar essa serie :)
    Beijos
    Dri

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leia mesmo Dri, acho que você não irá se arrepender.

      Excluir

Nome:
Blog/Site:

Topo