Por que Aceitei Aquele Pedido - Renata Varela


Título: Por que aceitei aquele pedido?
Autora: Renata Varela
Editora: Amazon
Número de Páginas: 166
ISBN: B01AASMSWO

Lilly não quer se casar. Idealiza uma vida de viagens, liberdade e sem compromissos. Mas não precisa estar sozinha; Não. Don, seu namorado desde os tempos da faculdade, está em seus planos para o futuro, mas como um namorado tranquilo, conhecendo o mundo juntos e morando em apartamentos separados. Só que Don quer outra coisa.
Na noite de ano novo, com mais de cinqüenta pessoas de testemunha, Don se ajoelha e... pede Lilly em casamento. Em pânico, sem saber como rejeitar um pedido tão genuíno, ela acaba dizendo "sim", mas se arrepende profundamente quando percebe que a vida de casada não é para ela, e começa a se fazer a pergunta: Por Que Aceitei Aquele Pedido?


🌟🌟🌟⭐⭐


Lilly tem a vida que sempre quis, tem a vida que sempre quis, a vida da liberdade, de não ter de dar explicações a ninguém. Mas tudo isso muda quando em plena virada do ano seu namorado Don, o qual ela conheceu na faculdade, a pede em casamento, e é assim que o mundo de Lilly começa a ruir.
Não a levem a mal, ela gosta dele eles tem um relacionamento saudável, de bom tempo, mas para Lilly casamento, significa responsabilidades, o nível do relacionamento aumenta. Apesar de todas essas contradições nem a nossa protagonista entende, mas ela acaba aceitando o pedido. Todos ficam extremamente eufóricos com o acontecimento menos a noiva. E isso só piora.


"Existe, em algum lugar, de algum livro muito famoso, uma frase que diz: toda mulher sonha com o casamento. Tem que ter. É a única explicação do porquê todo mundo acha que esse é o caminho certo para as mulheres: o casamento. Deixe-me dizer que sou contra isso.Não, não contra o casamento. Case quem quiser! Sou contra essa ideia de que toda mulher deve se casar. Deve ter filhos, um marido trabalhador e uma casa linda e limpa."


Conforme o tempo vai passando, a Lilly vai se sentindo sufocada e culpada, pois neste meio tempo ela tenta voltar atrás e contar a Don, que ela agiu na força do momento e voltar atrás, dizer que gosta dele sim, mas que acha tudo muito rápido ainda, mas acontece que quando vai dizer a ele perde a coragem, pois ele está tão animado, fazendo tantos planos para os dois, que ela simplesmente não quer decepcioná-lo. Mas o que fazer quando ela mesmo sente que não aguenta mais, que não é ela mesma, quando ela sente que está enganando todos? Inclusive a si mesma? Afinal, por que aceitou aquele pedido?


"O negócio é: cuidar de uma criança por um dia, vê-la com a mãe, deixa-la se pendurar em seu pescoço e compra-la um pote gigante de sorvete, tudo isso por UM DIA, é diferente de ter um bebê em casa, só seu. Todos os dias, 24h por dia. Ele está lá, lhe encarando com aqueles grandes olhos de bebês, sorrindo sem dentes ou mordendo os dedos dos pés. Olho para Don com um sorriso enorme no rosto, mas ele logo some, pois Don está cochichando com mamãe. O que esses dois estão tramando? [...]"p. 53-54


O primeiro livro que li da autora eu não me simpatizei muito,mas a razão foi a personagem principal que eu não me identifiquei nem um pouquinho. Mas, neste livro com a Lilly, eu me identifiquei muito, é uma personagem que acho que em algum momento da vida, alguma mulher já se identificou, com o momento da dúvida: será que este é o momento de unir minha vida a alguém?!
Nós entendemos o motivo da Lilly não querer esse grau de relacionamento no momento, ela não é nenhuma megera. Ela é apenas uma moça que quer aproveitar a sua liberdade, aproveitar viajar, ir a festas (mas não levem a mal, isso inclui o Don em vários momentos tá?). Mas querendo ou não, nós sabemos que quando se está namorando não é a mesma coisa de casamento, a situação muda sim, independente se a gente ou o parceiro queira ou não.
Gostei do tema abordado neste livro, o livro é curtinho com 166 páginas, e não sei a magia que tem os livros digitais, mas quando você termina parece que foi bem menos, sem contar que você pode ler bem rapidinho, e não é só porque o livro tem poucas páginas. Apesar de ser um livro curto, ele é bem estruturado, com começo, meio e fim, assim como situações que te causam um mix de sentimentos. Temos a dúvida, o amor, a amizade, a angústia, a felicidade … todos estes sentimentos estampados nesta estória.
O que dizer dos personagens, são bem estruturados o Don é um fofo, que muitas vezes você pensa ‘Porque a Lilly não quer se casar com um homem desses? Porque eu quero!’. A Lilly é hilária, apesar dos seus questionamentos quanto ao relacionamento, temos vislumbres das suas amizades e seu relacionamento tanto com a sua família como a do Don. Adoro ver esses relacionamentos afetivos familiares, dá uma ar de riqueza de sentimentos para mim, no ato da leitura.
Esse é um daqueles livros amorzinhos, para você ler em uma tarde de domingo quente, com um imenso copo de suco, ou sorvete com várias guloseimas para te acompanhar na leitura …. (Pera, vou ali fazer isso, e amanhã trago mais um post pra vocês ;)

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Nome:
Blog/Site:

Topo