O Visconde que me Amava - Julia Quinn


Título: O Visconde que me Amava
Autor: Julia Quinn
Editora: Arqueiro
Número de Páginas: 304
ISBN: 978-85-8041-197-3
Nota: 5/5

A série:
1. O Duque e Eu
2. O Visconde que me Amava
3. Um perfeito cavalheiro
4. Os Segredos de Collin Bridgerton
5. Para Sir. Philip com Amor
6. O Conde Enfeitiçado
7. Um Beijo Inesquecível
8. A Caminho do Altar
9. E Viveram Felizes para Sempre

A temporada de bailes e festas de 1814 acaba de começar em Londres. Como de costume, as mães ambiciosas já estão ávidas por encontrar um marido adequado para suas filhas. Ao que tudo indica, o solteiro mais cobiçado do ano será

Anthony Bridgerton, um visconde charmoso, elegante e muito rico que, contrariando as probabilidades, resolve dar um basta na rotina de libertino e arranjar uma noiva.
Logo ele decide que Edwina Sheffield, a debutante mais linda da estação, é a candidata ideal. Mas, para levá-la ao altar, primeiro terá que convencer Kate, a irmã mais velha da jovem, de que merece se casar com ela.
Não será uma tarefa fácil, porque Kate não acredita que ex-libertinos possam se transformar em bons maridos e não deixará Edwina cair nas garras dele.
Enquanto faz de tudo para afastá-lo da irmã, Kate descobre que o visconde devasso é também um homem honesto e gentil. Ao mesmo tempo, Anthony começa a sonhar com ela, apesar de achá-la a criatura mais intrometida e irritante que já pisou nos salões de Londres. Aos poucos, os dois percebem que essa centelha de desejo pode ser mais do que uma simples atração.

É muito difícil pra mim escolher um favorito desta família. A cada livro se torna uma missão impossível.

O protagonista Bridgerton deste livro é o Anthony. Sendo o filho mais velho da família, é o que tem o título pesando sobre os ombros. Com 31 anos, Anthony decide que chegou a hora de aposentar sua vida de libertinagem, então nesta temporada ele irá arranjar uma noiva.  Desde seus 18 anos, Anthony tem cuidado de sua família, desde que seu pai falecera. E agora, quer formar a sua própria.
Um homem charmoso é muito agradável e um homem de boa aparência é, sem dúvida, uma visão que vale a pena, mas um homem honrado, ah, querida leitora, é para ele que as jovens deveriam correr." Pág. 151
Mais uma temporada de bailes se inicia em Londres, e a aposta desta temporada é Edwina Sheffield, que por acaso sua irmã mais velha, Kate também esta debutando na estação. Como Kate sabe o que a irmã quer encontrar em um homem, Edwina deixa bem claro, que ela só irá dar chance ao homem que convencer a sua irmã.
Kate perdera a mãe quando muito pequena, e não se recorda dela. O pai para que a filha não crescesse sem uma figura feminina presente, decidiu se casar com Mary, que se tornou como uma segunda mãe para a menina, e eles tiveram Edwina. AS moças fogem dos padrões femininos da sociedade londrina. Ambas são inteligentes e cultas, dominando temas de política e religião, mas distintas em personalidade. Edwina meiga e romântica, enquanto Kate é o oposto, sarcástica, desafiadora e não acredita no verdadeiro amor, ela só quer o bem estar da irmã, que ela encontre um homem que a ame, enquanto Kate fique cuidando de Mary até os últimos suspiros de vida.

"[...] Eu a desejo. Meu corpo arde por você. Não consigo dormir a noite pensando em você. Mesmo quando não gostava de você, eu a desejava. É a coisa mais enlouquecedora, encantadora e abominável, mas é isso. E se eu ouvir mais uma bobagem da sua boca, vou amarrá-la a esta maldita cama e me satisfazer com você de mil maneiras diferentes, até enfim entrar na sua cabecinha idiota que você é a mulher mais linda e desejável da Inglaterra, e se nem todos veem isso, então são um bando de malditos tolos". Pág. 225


Como a mais cogitada da temporada, Anthony investe em Edwina, mas para chegar a moça tem que passar por sua irmã Kate primeiro. Mas Kate, sabe muito bem como Anthony é, além de possuir um título de peso, e pertencer a uma família muito bem conceituada na sociedade, ela conhece muito bem a sua fama de libertino, ainda mais por conta das notas que sai na coluna de Lady Whistledown.
Mas Athony, não quer uma moça que ele se apaixone, na verdade ele quer uma mulher ao seu lado para ser a mãe de seus filhos, uma viscondessa e não quer nenhum afeto envolvido neste relacionamento. Ele tem motivos fortes por querer uma relação desta forma. Mas as coisas vão mudando de cenário...

Conforme ele vai cortejando Edwina consequentemente, ele vai tendo contato com sua irmã Kate, e percebe que a moça por trás daquela sagacidade, é meiga, frágil, inteligente e muito bonita, o que lhe faz querer passar mais tempo perto da moça. E o mesmo ocorre com Kate, que ele pode ser sim um libertino, mas que quer mudar de vida, mas além de tudo é honesto, gentil e tem um amor imensurável com sua família. Entre suas trocas de ferpas aqui e ali, um sentimento irá nascer.
"Era engraçado, refletiu mais tarde, como a vida de alguém podia mudar num único instante, como tudo podia ser de um jeito num minuto e, no seguinte, simplesmente se transformar em algo…diferente."

A única coisa que me arrependo a respeito desta série, é não ter começado a ler antes, sério, estava perdendo muitos livros bons. Assim, como o primeiro livro, eu adorei!
Neste segundo volume, me rendeu muitas risadas, Anthony e Kate são maravilhosos, nenhum dá o braço a torcer, ambos são geniosos. Uma mocinha que fala o que pensa, doa a quem doer, e um homem de grande prestígio na sociedade, mas que carrega um grande trauma na alma.
A autora neste livro retrata com uma grande ênfase o relacionamento da família Bridgerton, que no primeiro livro não vimos muito. Aqui, temos um vislumbre maior de todos os membros da família e mal posso esperar para conferir os próximos volumes desta série maravilhosa.

Mega recomendo!

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Nome:
Blog/Site:

Topo