Eu Sou o Mensageiro - Markus Zusak

Título: Eu sou o Mensageiro
Autor: Markus Zusak
Editora: Intrínseca
Número de Páginas:318
ISBN: 978-85-98078-29-8

Classificação: 5/5 


Conheça Ed Kennedy: taxista, patético jogador de carta, um desastre no amor. Mora numa casinha alugada com seu cachorro viciado em café e está apaixonado pela sua melhor amiga. Seu dia-a-dia é uma rotina de incompetência, até que, sem querer, impede o assalto a um banco. Então recebe a primeira carta: um Ás. É quando Ed se torna o mensageiro... Escolhido para socorrer, ele segue seu caminho na cidade ajudando - e machucando (quando necessário) - até que resta apenas uma questão: Quem está por trás de sua missão? Eu sou o mensageiro é uma jornada enigmática repleta de humor, socos e amor.
Tenho este livro por um acaso. Estava eu no mercado e vi o livro, peguei li a sinopse, mas o que me chamou mais a atenção foi o autor. Já li A menina que roubava livros, e pra mim, é um dos melhores livros da vida,  decidi que queria ler outros do autor e também porque gostei da capa. Acabei comprando este, que se tornou mais um dos livros que quero levar para o resto da vida.
Ed Kennedy, que é um rapaz de 19 anos que ganha a vida como taxista. Sabe daquele tipo de pessoa que tanto faz se o sol vai nascer amanhã ou não no dia seguinte? Pois então, assim é o Ed. Ele vive sem um propósito de vida.
Sua vida muda a partir do dia em que ele e seu amigo Marv, estão em uma agência bancária, e ocorre um assalto. Ed em uma ação impensada, acaba impedindo o assalto. Ele acaba recebendo seus 15 minutos de fama, do tipo "Malandro toma vergonha na cara, e faz alguma coisa que preste" ( se não me engano, o autor, usa uma frase parecida no livro), além dos seus "15 minutos de fama" ainda ganha uma ameaça do assaltante.
Ed passa o seu tempo livre com seus amigos: Marv, Ritchie e Audrey, por quem ele tem uma queda, mas parece que Audrey dorme com qualquer um menos ele.  Ed mora no subúrbio, com seu cachorro Porteiro, que é um animal velho, que cheira mal e é viciado em cafeína.
Ed é o único filho que mora perto da mãe, mas a mãe não ta nem aí pra ele, só o trata mal e vive o comparando  com os outros filhos que estão longe e que não dão a minima para ela, além disso ela ainda diz para o filho que é um fracassado e que vai ter o mesmo fim que o pai, que morreu de tanto beber. Resumindo, a vida do Ed não é nenhum mar de rosas.
Mas, o ponto do livro, não é o desastre da vida do protagonista e sim o que começa a acontecer depois do episódio do impedimento do roubo ao banco. Após, este episódio ele começa a receber cartas de baralho, nas quais são descritos enigmas, que o determina a uma missão. É a partir daí que Ed se torna o mensageiro.



Ao término desta leitura você para e reflete: As minhas ações estão corretas?
Não tenho vergonha de admitir, que demorei mais de 6 meses para terminar esta leitura maravilhosa. No inicio eu estranhei, porque é uma leitura completamente diferente de A Menina que Roubava Livros, e neste livro ele é repleto de gírias e expressões usadas nas ruas, mas o contexto de um livro do outro é totalmente diferente. Mas, um dos motivos para eu ter demorado tanto: pensei em abandoná-lo muitas vezes! Por conta de a trama em certos pontos ser lenta, e eu pensava que não era necessário entrar em detalhes em tantas coisas, como eu estava enganada, cada mínimo detalhe neste livro faz toda a diferença.


Você conhece tudo sobre seus amigos? Vizinhos? Família? Podem ser que eles estejam carregando um grande problema ou um grande segredo que você desconheça, e ás vezes essas pessoas apenas queiram alguém para desabafar.
Tem pessoas que pensam que precisamos de grandes coisas para vivermos, quando na realidade sabemos que não é necessário. Saiba que existem pessoas que ficam radiando de alegria pelas coias simples que a vida proporciona. Dinheiro nunca foi e nunca será sinônimo de felicidade e paz, não se pode comprar o que não se esta a venda, como nossos sentimentos . Pense nisso!
Já praticou uma boa ação hoje? Fazer uma boa ação, aquece o coração e enriquece a alma.
Sabia que um simples 'Bom dia', 'Olá', 'Oi', ou até mesmo um pequeno sorriso, pode mudar o dia de uma pessoa, pois apenas um pequeno gesto pode melhorar o estado de espirito de uma pessoa.
E você já agradeceu a Deus, por mais este dia? Não?! Agradeça- o por tudo que ele lhe proporciona, pois sem Ele, você nem teria nascido.

Acho que esta foi a resenha mais extensa aqui do blog, mas com razão. Tenho várias coisas a mais para acrescentar que esta leitura me mostrou, mas vou deixar que vocês leiam e tirem suas próprias conclusões.

2 comentários

  1. Ooi, Aline!
    Bom, para iniciar meu comentário: eu não gosto da escrita desse autor. Tentei ler o famoso "A menina que roubava livros" e abandonei completamente a leitura antes mesmo de sair do primeiro capítulo, porque eu dei uma olhadinha no restante do livro e nada me agradou. Eu até me sinto meio estranha em relação a isso, porque parece que todo mundo gosta do livro, menos eu (minha irmã mais velha também não conseguiu ler Kkkkkk). O enredo parece ser legal e tal, mas a escrita realmente é cansativa e tediosa, por assim dizer.
    Não leria nenhum outro título dele, infelizmente é assim comigo :/
    Mas, sua resenha está ótima! E realmente, esta está bem enorme do que o normal Kkkkk Mas assim que é bom, pois nos mostra que a estória te cativou mesmo.
    Parabéns pela resenha e fotografias!
    Beeijos

    {www.thoughtsandadventures.com.br}

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ruhh, devo admitir que demorei engatar na leitura dos dois livros, e me vi em vários momentos a ponto de abandonar, mas li no tempo em que poucas pessoas conheciam o livro, e eu me obriguei a terminar.Não tiro a sua razão de maneira alguma, cada um tem a sua opinião, tem livros que eu detesto e todo mundo ama também, é normal.
      Mas mesmo, fico contente que tenha gostado da resenha e das fotos,tento tirar em boa resolução, mas sabe como é kkkkk
      E a resenha ficou longa porque acabei me empolgando. kkk

      Bjux ;)

      Excluir

Nome:
Blog/Site:

Topo